Vereadores juntam dados e querem mais alcance do Plano de Saneamento Básico de Ubatuba

Vereador Eugênio Zwibelberg abordou  o Plano Integrado de Saneamento Básico de Ubatuba, tema de recente contrato com a Sabesp. O vereador quer saber do plano de investimento e cronograma de obras. Segundo ele “esse pedido de informações está diretamente atrelado à questão da saúde e do Meio Ambiente. O Governo Federal estipulou cerca de 700 bilhões para o novo Marco Regulatório de Saneamento e em Ubatuba surgiu a Lei 4221 de 2019 criando o Plano Municipal Integrado de Saneamento Básico. Porém não sabemos ainda se esta lei municipal está adequada ao novo Marco Regulatório ou se precisa readequar sua legislação”.

Eugenio diz que “pediu essas mesmas informações à Sabesp para confrontarmos os dados. Somente 40 % da cidade conta com coleta e tratamento de esgoto. E quando falamos em Saneamento falamos também do manejo de Resíduos Sólidos, o lixo. É outra questão importante. No contrato há um item que fala em “áreas atendíveis” e disso se compreende que não haverá serviço no Camburi, na Picinguaba, nos extremos do municipio mas universalização é para todos.  Temos que atuar de maneira firme e contundente nesse sentido”.

O vereador Rogério Frediani (PL)  lembra que “todos sabem que cada real investido em saneamento são 4 reais economizados na Saúde e diz que gostaria de participar junto com o vereador Zwibelberg na análise desse contrato e da planilha de investimentos. Frediani acrescenta que “a cidade cresceu, nossa geografia muda de dois em dois anos e a capacidade de absorção do esgoto. Obra de ampliação de capacidade só fica pronta em 2022 mas quando ficar pronta já não terá também capacidade”.