Saúde pública: praia limpa é um requisito. Educação também

Foto: Ubatuba Acontece News
Nos últimos dias muito se falou sobre praias impróprias no Litoral Norte, o que evidente, não é propaganda positiva para uma região que basicamente vive do turismo.

Isso tem a ver com maiores investimentos governamentais no saneamento básico e na educação da população.

Ter praia imprópria é o mesmo que você ter um produto para vender e não poder fazê-lo. Isso é prejuízo na certa.

Balneabilidade
O que é Balneabilidade?
Balneabilidade é a qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, sendo este entendido como um contato direto e prolongado com a água (natação, mergulho, esqui-aquático, etc), onde a possibilidade de ingerir quantidades apreciáveis de água é elevada.
Para sua avaliação é necessário o estabelecimento de critérios objetivos. Estes critérios devem se basear em indicadores a serem monitorados e seus valores confrontados com padrões pré-estabelecidos, para que se possa identificar se as condições de balneabilidade em um determinado local são favoráveis ou não; pode-se definir, inclusive, classes de balneabilidade para melhor orientação dos usuários.
Fatores que influem na balneabilidade
O parâmetro indicador básico para a classificação das praias quanto a sua balneabilidade em termos sanitários é a densidade de coliformes fecais. Diversos são os fatores que condicionam a presença de esgotos nas praias:

Existência de sistemas de coleta e disposição dos despejos domésticos gerados nas proximidades.Existência de córregos afluindo ao mar.Afluência turística durante os períodos de temporada.Fisiografia da praia. Ocorrência de
chuvas. Condições de maré.

Aspectos de saúde pública
Corpos d’água contaminados por esgoto doméstico ao atingirem as águas das praias podem expor os banhistas a bactérias, vírus e protozoários. Crianças e idosos, ou pessoas com baixa resistência, são as mais suscetíveis a desenvolver doenças ou infecções após terem nadado em águas contaminadas.
As doenças relacionadas ao banho, em geral, não são graves. A doença mais comum associada à água poluída por esgoto é a gastroenterite. Ela ocorre numa grande variedade de formas e pode apresentar um ou mais dos seguintes sintomas: enjoo, vômitos, dores de estômago, diarreia, dor de cabeça e febre. Outras doenças menos graves incluem infecções de olhos, ouvidos, nariz e garganta. Em locais muito contaminados os banhistas podem estar expostos a doenças mais graves, como disenteria, hepatite A, cólera e febre tifóide.
Cuidados que devem ser tomados
Considerando-se as diversas variáveis intervenientes na balneabilidade das praias e sua relação com a possibilidade de riscos à saúde dos banhistas, é recomendável:
Não tomar banho nas águas das praias que forem classificadas como impróprias Evitar o contato com os cursos d’água que afluem às praias Evitar o uso das praias que recebem corpos d’água cuja qualidade é desconhecida; após a ocorrência de chuvas de maior intensidade Evitar a ingestão de água do mar, com redobrada atenção para com as crianças e idosos, que são mais sensíveis e menos imunes do que os adultos Não levar animais à praia.

Fonte: Cetesb