Saúde do Litoral Norte vai receber hum milhão cento e noventa e seis mil para enfrentar o covid-19; veja quanto vão receber os hospitais

Imagem: Santa Casa de Ubatuba
Notícia de última hora: O Ministério da Saúde publica nesta sexta-feira (22) que Estados e municípios terão R$ 2,2 bilhões para COVID-19 e assistência à saúde da população. Para saber como este dinheiro será aplicado, veja ao que diz o Ministério da Saúde na notícia completa:

Veja no Litoral Norte

Caraguatatuba – Casa de Saúde Stella Maris R$ 609.383,94

São Sebastião – Hospital de Clínicas R$ 316.115,57

Ubatuba – Santa Casa de Misericórdia R$ 268.698,64

R$ 2 bilhões vão para as santas casas e hospitais filantrópicos, sem fins lucrativos, conveniados com o SUS. O restante é destinado ao credenciamento de agentes comunitários de saúde, equipes de saúde da família, de saúde bucal e equipes de saúde fluvial

O Ministério da Saúde e os conselhos nacionais de Secretários de Saúde (CONASS) e de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) avançaram nas discussões e pactuações relacionadas à resposta brasileira à COVID-19 e de necessidades de assistência à população. Durante reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), realizada nesta quinta-feira (21), em Brasília, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, assinou sete portarias pactuadas na comissão. Estas portarias correspondem à liberação de R$ 2,2 bilhões de recursos para serviços da atenção primária e especializada em atendimento às demandas de estados e municípios. Desse total, R$ 2 bilhões estão destinados às santas casas e hospitais filantrópicos, sem fins lucrativos, conveniados com o Sistema Único de Saúde (SUS).

O auxílio às santas casas e filantrópicos será repassado em duas parcelas por meio do Fundo Nacional de Saúde aos fundos estaduais e municipais e deverá ser utilizado em ações para combater a pandemia da COVID-19. O dinheiro deverá ser usado na compra de medicamentos, suprimentos, insumos e produtos hospitalares para o atendimento adequado aos pacientes. Também fica aberta a possibilidade de aquisição de equipamentos e a realização de pequenas reformas e adaptações físicas para aumento da oferta de leitos de terapia intensiva.

As portarias, discutidas em conjunto pelos representantes do Ministério da Saúde e de secretarias de saúde estaduais e municipais, buscam ampliar o acesso da população às unidades de Atenção Primária e aumentam a força de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS).

“No que depender de nós três, União, estados e municípios, sei que, juntos, vamos encontrar as melhores soluções e as mais rápidas possíveis. Me solidarizo com as famílias que perderam entes por conta da pandemia. Vamos acelerar às ações ao máximo para minimizar as perdas. É uma guerra com várias batalhas”, disse o ministro da Saúde interino, Eduardo Pazuello.

Com informações do Ministério da Saúde