Retrato do abandono. Ubatuba, cidade submersa

A crítica para ter credibilidade não pode ser feita de forma desarrazoada e exigindo o impossível  muito menos dirigida a quem não tem culpa. É o caso de Ubatuba e sua triste sina de ficar submersa quando chove mais intensamente,  servindo como exemplo os últimos dias. A prefeita Flavia Pascoal ainda vai completar dois meses de seu mandato, sendo irresponsabilidade e porque não dizer, uma maldade, querer atribuir a ela todos os estragos e transtornos causados pelas chuvas. Aliás, os céus mandaram muita chuva nos primeiros dias de janeiro, como que sinalizando que o mandato da prefeita estaria recebendo seu batismo.

Uma imagem vale mais que mil palavras

Capturamos no Grupo Ubatuba Viva esta foto que ilustra muito bem o  cenário de uma rua submersa em que o morador deixa registrada a sua critica de maneira silenciosa, mas contundente. Pedimos licença pelo uso da imagem que viralizou nas redes sociais.

Prioridade

Nós diríamos que a prioridade deste governo deve ser atacar de vez o problema das enchentes em Ubatuba, buscando recursos estaduais e federais, que não podem ser negados, pois a população merece respeito.  Saúde, educação, segurança, são muito importantes, mas fazem parte das obrigações rotineiras de todo administrador. Na verdade Ubatuba está cansada do trivial que qualquer um faz. Precisa de um Master Chef que saiba preparar pratos mais criativos e saborosos. O feijão com arroz, enjoou.

Anos de indiferença

Foram tantas administrações e o problema das enchentes foi praticamente ignorado. O resultado de tantos anos de indiferença e incapacidade administrativa mostra sua  cara toda vez que chove. A chuva é uma benção da natureza. Para Ubatuba, não pode ser uma maldição.