Prefeitura de Ubatuba firma acordo de cooperação com Consórcio Culturando e UNESP e poderá ganhar “cidade irmã” na África

Fonte: Prefeitura de Ubatuba
O prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), participou da abertura do Encontro de Gestão Social na tarde da quinta-feira, 04. Na ocasião, foi firmado acordo de cooperação técnica entre o Consórcio Intermunicipal Culturando, a Prefeitura de Ubatuba e a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).
O acordo tem o objetivo de desenvolver projetos de educação continuada junto às comunidades quilombolas, indígenas e caiçaras, promovendo o intercâmbio entre alunos das redes municipais de ensino das cidades participantes do consórcio, e promover conferências e simpósios sobre a identidade cultural do município de Ubatuba.
O documento prevê ações práticas, como o levantamento de dados para estabelecimento de relações de cidades-irmãs entre Ubatuba e uma cidade de um país lusófono da África, como Angola ou Moçambique; a introdução de curso sobre História dos povos africanos, indígenas e caiçaras no curriculum da rede municipal de ensino; vivências de intercâmbio entre culturas caipira e de povos tradicionais de Ubatuba, incluindo troca de cartas e viagens escolares de estudantes do interior para Ubatuba e vice-versa.
Durante o evento, os participantes esclareceram dúvidas sobre o funcionamento das leis de incentivo e os caminhos para o município e associações sem fins lucrativos conquistarem recursos a fim de desenvolver ações nas áreas de cultura, esportes, turismo e de comunicação, além da presença do vereador Adão Pereira, representando a Câmara Municipal.
Participaram do encontro representantes de ONGs como o Instituto da Árvore, Ubatuba em Foco, Gaiato, Associação Polo Produtivo, bem como da Paróquia Exaltação à Santa Cruz, secretários de diferentes pastas como Turismo e Comunicação, além de representantes das instituições organizadoras.
Além do prefeito Sato, assinaram o convênio o presidente da Associação de Gestão Cultural no Interior Paulista (AGCIP) e ex-prefeito de Rincão, Amarildo Dudu Bolito, o professor Dagoberto José Fonseca, pela UNESP, e o secretário executivo do Consórcio Intermunicipal Culturando, Prof Edemilson José do Vale (Sete). O evento também contou com a presença do gerente executivo de relações institucionais do Instituto Ethos, Felipe Saboya.
O Encontro de Gestão Social é uma realização da AGCIP, Associação Os Independentes de Barretos, Consórcio Intermunicipal Culturando, Semear Produções, Instituto Ethos, Code Stúdio e conta com apoio da Associação Comercial de Ubatuba, Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraiba Litoral Norte e Mantiqueira (Codivap), Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba (Fundart), Prefeitura de Ubatuba e Fundo Social de Solidariedade.
Vivência caipira
O encontro foi encerrado com a vivência prática da cultura caipira no II Festival Queima do Alho, na qual comitivas de peões das cidades de Itapecerica da Serra, Ubirajara e Rio Bandeirantes prepararam pratos típicos como o arroz carreteiro, feijão gordo, paçoca de carne e churrasco e show de música sertaneja com os cantores Roby e Thiago, de Barretos, e de MPB com Tato, de Ubatuba.
Há diferentes versões sobre de onde vem a expressão “queima do alho”. Uma delas diz que a atividade recebe esse nome porque o cozinheiro das comitivas de boiadeiros, ao começar a preparar a comida, jogava uma malha de alho sobre a panela que exalava o odor do tempero. Assim, na linguagem dos boiadeiros, “queimar o alho” é sinônimo para cozinhar ou preparar a comida.
Da mesma forma que Ubatuba vivenciou a cultura caipira com a queima do alho, a população de Barretos, no interior de São Paulo, terá oportunidade de conhecer um pouco da cultura indígena guarani por meio da participação do coral da Aldeia Boa Vista, do Prumirim, na próxima Festa do Peão do Boiadeiro.