Prefeitura de Ilhabela reúne-se com representantes do Consórcio Nova Balsa para tratar dos casos de embarque de pacientes

Medida visa resguardar o embarque de pacientes transportados em ambulância UTI para o continente

Representantes da Prefeitura, Dersa e do Consórcio Balsa Nova estiveram reunidos na tarde desta terça-feira (4), na sede do Departamento Especial de Segurança Pública, na Barra Velha, para discutirem medidas que irão resguardar o embarque de pacientes transportados em ambulâncias UTIs para o continente.
O encontro aconteceu em decorrência de uma ocorrência registrada na manhã deste domingo (2), quando um profissional de uma ambulância UTI chegou ao bolsão de embarque e solicitou o retorno da embarcação que acabara de sair, a fim de resguardar a emergência que atendia, não sendo atendido pelo responsável do sistema de travessia, informando à equipe médica que aguardasse nova embarcação.
Durante a reunião, definiu-se os procedimentos para o transporte de ambulâncias UTIs pela balsa. Ou seja, a Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A), ficou de fornecer à Administração, a partir de hoje, a escala mensal dos encarregados de tráfego (com os respectivos números celulares de cada funcionário escalado), para receber solicitação da recepção do Hospital Mário Covas Júnior, em casos emergenciais.
Tais casos foram divididos em dois níveis: quando há risco de vida do paciente (neste caso as ambulâncias chegarão ao bolsão da travessia e embarcarão preferencialmente); quando não há risco de vida ao paciente (neste caso a ambulância segue normalmente com a balsa cheia). Em ambos os casos, será o solicitante, ou seja, o hospital, quem irá definir o nível de gravidade.
Participaram da reunião além do secretário de Saúde Osvaldo Julião e seu adjunto, Gustavo Barboni, Ibsen Gomes (Dersa), Tainan Moreira e Marcelo Soares (Consórcio Balsa Nova); Flávio de Freitas e Alberto Ono (médicos da ambulância UTI); Isaura Oliveira, Sandra Pinheiro, Carlos Maknavícius e Cláudia Pinto (Hospital Mário Covas); a engenheira Flávia Fonseca e Reginaldo Santos (Departamento Especial de Segurança Pública).