Mãe do piloto do bimotor que caiu no mar em Ubatuba, se despede do filho em cerimônia de cremação

Após a cerimônia de cremação do filho, o piloto de avião Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos – vítima do acidente aéreo, na última quarta-feira, entre Ubatuba (SP) e Paraty (RJ) – a dentista Leila Reis Calçado Carneiro usou as redes sociais para homenageá-lo. Leila, que não quis enterrá-lo, escreveu: “Amar. Amar sempre. Vou te amar eternamente”. A mensagem foi acompanhada de uma foto de mãe e filho. Após a publicação, dezenas de familiares e amigos deixaram mensagens de carinho e condolências para a mãe. O aviador era o mais velho de dois irmãos. Natural de Minaçu, em Goiás, o rapaz vivia em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, desde os cinco meses de idade. Há cerca de três anos, ele veio morar na capital fluminense.

Era Gustavo o responsável por pilotar o bimotor modelo PA-34-220T, prefixo PP-WRS, que caiu em alto mar. Além do jovem, estavam a bordo o copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20, e o empresário Sérgio Alves Dias Filho, de 45. Ambos ainda estão desaparecidos. O avião bimotor desapareceu por volta das 21h de quarta-feira, após deixar o Aeroporto de Campinas, com destino a Jacarepaguá, na Zona Oeste.

O corpo de Gustavo foi encontrado, na tarde de quinta-feira – horas após a queda – por equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) já em águas do Rio de Janeiro. De acordo com a FAB, a correnteza levou o corpo para as redondezas de Paraty. Os familiares do rapaz o reconheceram na manhã de sexta-feira e a cremação aconteceu na tarde do último sábado no Cemitério da Penitência, no Complexo do Caju. As cinzas do corpo do rapaz serão levadas para sua cidade natal.

Fonte: site Extra