Jovem torturada em São Sebastião pode ter sido vítima de “tribunal do crime”

Foto: local onde a jovem permaneceu por três dias sequestrada/divulgação da Polícia Civil
Com a prisão de 6 dos 8 envolvidos, Polícia Civil está esclarecendo o crime de sequestro, lesão corporal e cárcere privado.
Uma jovem de 25 anos foi sequestrada e mantida em cárcere privado por três dias em uma propriedade rural em São Sebastião. Durante esse tempo, a vítima foi amordaçada, amarrada e submetida a agressões e ameaças.

O sequestro ocorreu dia 16 de abril no bairro Camburi e teve como autor um adolescente de 14 anos armado, que coagindo, levou a menor para o local onde foi torturada. Oito pessoas estão envolvidas no crime, sendo quatro menores de idade. A alegação dos criminosos era que a jovem seria informante da polícia.

Segundo a polícia, as sessões de tortura eram comandadas por um homem, que seria chefe do tráfico na região do Camburi. Os bandidos suspeitaram da vítima, dizendo que encontraram no seu celular, indícios de que ela mantinha contato com a polícia. As torturas tinham o objetivo de obter a confissão da jovem.

Depois de três dias, a jovem aproveitou um momento de distração de seus captores e fugiu do local. Pediu carona a um motorista que passava nas proximidades e procurou a Delegacia. A Polícia Civil começou a investigar o caso, e nesta semana, prendeu seis dos envolvidos.
A jovem por medida de segurança foi encaminhada para a casa de familiares fora de São Sebastião.

O caso começou a ser esclarecido e outras prisões ocorreram. O mandante de 46 anos foi preso. Restam dois menores que estão foragidos. Há suspeita de que os envolvidos no sequestro da jovem pertençam a um grupo ligado a uma facção que atua dentro e fora das prisões.

O sequestro e a tortura, levam a polícia a acreditar, que a jovem foi vítima do que os bandidos chamam de “tribunal do crime”.