Instituto Argonauta registra tubarão-baleia em Ilhabela

Na última terça-feira, dia 28 de julho, a equipe do Instituto Argonauta para Conservação Costeira e Marinha avistou um tubarão-baleia (Rhincodon typus) de cerca de 10m de comprimento, em Ilhabela, litoral norte paulista, que rendeu boas imagens subaquáticas. O avistamento foi próximo a ilha da Serraria.

O tubarão-baleia representa a maior espécie de peixe do mundo. Ao contrário da maioria das espécies, o tubarão-baleia atua como um filtrador, alimentando-se de plâncton e pequenos peixes como anchovas e sardinhas. De tamanho notável (pode alcançar até 12 m de comprimento e peso de 12,5 toneladas) e aparência semelhante à de uma baleia, o tubarão-baleia caracteriza-se por uma cabeça achatada e boca grande, cuja abertura pode atingir até 1,5 m, quase a largura total de seu corpo. O animal é extremamente dócil e inteligente e não representam perigo para os seres humanos. Segundo a bióloga

Carla Beatriz Barbosa

, o registro de tubarão-baleia aqui na região é um fato importante, pois ainda existem poucas informações relacionadas a aspectos ecológicos e biológicos deste animal em todo o mundo.

.
Na IUCN, a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, o tubarão-baleia tem um status em perigo ou, em inglês, endangered (EN): quando a melhor evidência disponível indica que uma espécie provavelmente será extinta num futuro próximo. Este é o segundo estado de conservação mais grave para as espécies na natureza. 3.219 animais e 3.009 plantas estão ameaçadas de extinção em todo o mundo, de acordo com informações do portal ((o))eco.
.
“Saídas como esta são extremamente importantes para a divulgação do trabalho da instituição, bem como pelo registro e divulgação da importância da preservação do litoral norte paulista que possui uma rica biodiversidade”, comenta o oceanógrafo e presidente do Instituto Argonauta Hugo Gallo Neto.
.
É importante ressaltar que no Brasil, a espécie não tem importância comercial e a captura e desembarque são proibidos por lei (anexo I da Instrução Normativa nº05 do Ministério do Meio ambiente – MMA, 2004). O terceiro artigo da Instrução Normativa detalha que as espécies do Anexo I, no qual está inserido o tubarão-baleia, “estão proibidas de serem capturadas, exceto para fins científicos, mediante autorização especial do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos
Recursos Naturais Renováveis (IBAMA)”.
.
➡️ Sobre o Instituto Argonauta

O @institutoargonauta foi fundado em 1998 pela Diretoria do

Aquário de Ubatuba

e reconhecido em 2007 como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). O Instituto tem como objetivo a conservação do Meio Ambiente, em especial a conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos. Para isso, apoia e desenvolve projetos de pesquisa, resgate e reabilitação da fauna marinha, educação ambiental e resíduos sólidos no ambiente marinho, dentre outras atividades. O Instituto Argonauta também é uma das instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS.