Ilhabela transforma-se na capital da observação de pássaros a partir desta sexta-feira

Entre os dias 11 e 28, o município do litoral norte paulista terá intensa programação sobre birdwatching, com mais de 50 atividades, entre palestras, cursos, fam-trips, cinema, oficinas e atividades infantis
Com uma área de 27.025 hectares (ou 270 quilômetros quadrados), Ilhabela tem uma das maiores reservas de Mata Atlântica conservada do mundo. A fauna do arquipélago do litoral paulista abriga uma rica e farta variedade de pássaros. Não por acaso, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo investe na implementação do Birdwatching como nova modalidade para receber visitantes de diferentes partes do Brasil e do mundo. Em outubro, a cidade conhecida como capital da vela, vai se transformar na capital da observação de aves.
A programação do Festival de Aves de Ilhabela, entre os dias 11 e 28, será intensa e terá mais de 50 atividades, entre palestras, minicursos, fam-trips, cinema, oficinas e atividades infantis. “Nosso trabalho visa ampliar as opções de turismo no município e o Birdwatching traz um turista em sintonia com nossa proposta de ´Vida Natural’. Esse grande evento é uma espécie de pontapé inicial para a criação de estrutura específica para os observadores de pássaros, que inclui a construção de seis torres no Parque Estadual de Ilhabela, além de outras iniciativas que fazem parte do convênio assinado entre a Prefeitura e a Fundação Florestal”, explica Bianca Colepicolo, secretária de Desenvolvimento Econômico e do Turismo.
A expectativa da prefeitura de Ilhabela é que a implementação da estrutura para receber os turistas de Birdwatching esteja completa para a temporada de verão de 2020. A meta é que os visitantes tenham a oportunidade de observar, fotografar e catalogar espécies como o Tiê-sangue, símbolo da Mata Atlântica, Tangará, Papagaio-moleiro – eleita a ave símbolo da ilha, a Coruja-preta, ou a Jacutinga. “O Festival faz parte dessa preparação da cidade para oferecer esse novo produto de turismo. Além das atividades para o público em outubro, também daremos atenção especial para o desenvolvimento do trade local “, explica Bianca.
A secretária dimensiona o potencial da atividade de observação de pássaros. “Nos Estados Unidos, mais de 45 milhões de pessoas observam aves como hobby, segundo a Pesquisa Nacional Relacionada à Vida Selvagem. A atividade traz um retorno para economia na casa de 80 bilhões de dólares. Enquanto isso, no Brasil, promovemos muito mal nossa rica biodiversidade. O potencial econômico de atividades, serviços e produtos que mantém a floresta em pé são gigantescos. Em 2018, nossos parques nacionais tiveram 12 milhões de visitantes. Mesmo sem grande promoção, famílias em todo país têm procurado conhecer mais nossos parques, ano a ano”, informa Bianca, lembrando que, segundo o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO), mais de 18% de todas as aves do mundo estão no Brasil, com 1.919 espécies encontradas no país, destas 321 habitam o arquipélago de Ilhabela.
Entre os destaques da programação do Festival aos sábados e domingos, nas manhãs haverá passarinhadas, à tarde palestras e minicursos que se estendem até a noite, que termina com cinema ligado a observação e conservação. Entre os temas abordados por especialistas da cidade e convidados, estão ‘A Economia do Birdwatching’, ‘Observação e comunidade’, ‘Aves de Ilhabela’, ‘Aves do meu quintal’, ‘Jardins de beija-flores’, ‘Fotografia e tratamento de imagens’, entre outros. Durante todo o período do evento haverá exposições fotográficas dos pássaros de Ilhabela pela cidade.
Programação Completa do Festival de Aves no site da Prefeitura