Final do Hang Loose Surf Attack será na Praia de Juquehy em São Sebastião

Depois de 14 anos, a Praia de Juquehy, em São Sebastião, retorna ao calendário do Hang Loose Surf Attack, com a 4ª e decisiva etapa do ranking nos dias 25 a 27 deste mês. A última vez que o local recebeu o Circuito Paulista das categorias de base foi em 2005 e naquela ocasião um dos destaques foi Filipe Toledo, sendo bicampeão estadual ainda na petit (10 anos para baixo).
Na época, atletas que hoje brilham na elite mundial iniciavam suas carreiras e já se destacavam no Hang Loose Surf Attack, considerado uma “escola de competição na prática”, como Miguel Pupo, Gabriel Medina, Jadson André, Caio Ibelli, Jessé Mendes e Deivid Silva. “Decidimos realizar duas etapas em São Sebastião, por ser a cidade que foi campeã em 2018, e escolhemos Juquehy porque recebe mais ondulação nesse período”, afirma o presidente da Federação Paulista de Surf, Silvio da Silva, o Silvério.
Ele lembra um momento marcante do campeonato, realizado Juquehy, com a primeira transmissão ao vivo pela internet das disputas. “Utilizamos uma antena por satélite. A praia tem história”, ressalta Silvério, também citando a presença ilustre do ícone Tom Carrol, em 2004, prestigiando os atletas da nova geração. “Com certeza, esperamos outro grande evento. Tivemos boas disputas em Juquehy e a expectativa é de uma final muito disputada”, comenta.
Com 31 anos de história, o Circuito segue revelando e formando talentos. Entre os principais nomes atuais está Ryan Kainalo, de Ubatuba, que já garantiu seu sexto título paulista este ano, na etapa anterior, sendo o melhor da iniciante (sub14). Quem também levantou o troféu por antecipação foi o sebastianense Murillo Coura na estreante (12 anos para baixo).
Nesta última etapa dois atletas que acabam de comemorar os títulos brasileiros podem ampliar a festa confirmando novas conquistas no Hang Loose e praticamente surfando em casa. Sophia Medina, na feminina, e Caio Costa, na júnior (sub18), ambos da vizinha Maresias, podem ser campeões antes mesmo das finais, dependendo dos resultados dos rivais.
Na mirim (no máximo 16 anos), o catarinense Heitor Mueller também garantiu o título por antecipação (em 2017 faturou a iniciante), mas como é de outro estado, Caio e Diego Aguiar, de Ubatuba, estão na briga para ver quem será o campeão paulista. Os três atletas também aparecem entre os primeiros na categoria acima, a júnior, confirmando grandes fases nas carreiras.
Já na petit, o paranaense Anuar Chiah está muito próximo do bicampeonato do Circuito e o ubatubense Kailani Rennó é seu principal adversário e querendo o bi paulista. Entre as cidades, São Sebastião venceu as três etapas e pode comemorar o segundo título seguido. Fora do mar, a garotada também tem diversão garantida, com as brincadeiras, gincanas e jogos nas tendas junto ao palanque.
O Hang Loose Surf Attack 2019 tem os patrocínios de Sthill, Super Tubes, Surf Trip, Kyw, Overboard Action Sports Store, Hot Water, Rhyno Foam e CT Wax. Apoios da Prefeitura Municipal de São Sebastião, Associação de Surf de São Sebastião (ASSS), Governo do Estado de São Paulo/Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, com divulgação de Waves e FMA Notícias. Organização da Federação Paulista de Surf.

Com informações de Fábio Maradei Notícias