Festas clandestinas em Caraguatatuba são encerradas pela fiscalização e Polícia Militar

Neste final de semana, agentes da Vigilância Sanitária de São Paulo e Caraguatatuba, juntamente com fiscais do Urbanismo e Comércio com apoio da Polícia Militar, flagraram a realização de duas festas clandestinas no bairro Pegorelli na região Sul da cidade.

Cerca de 170 pessoas estavam nestas festas quando os fiscais chegaram, sem o uso de máscara, em desacordo com as medidas preventivas de combate à pandemia. Os organizadores foram identificados e as pessoas foram orientadas a retornarem para suas casas.

 Na semana passada, a fiscalização conjunta realizada pelas equipes da Prefeitura de Caraguatatuba, com apoio da Polícia Militar, permitiu o fechamento de três festas realizadas de forma irregular.  Uma pessoa foi autuada em R$ 3.740.

Na primeira ocorrência, os fiscais das Secretarias de Urbanismo (Posturas), Fazenda (Comércio) e Saúde (Vigilância Sanitária) receberam a informação de uma festa clandestina a ser realizada em uma pista de corrida, no bairro Tinga.  Quando chegaram ao local,  havia cerca de 60 pessoas.

O organizador foi autuado pela Vigilância Sanitária por promover festas em tempo de pandemia.  Já um comércio localizado no Jardim Gaivotas também foi autuado pela Visa por estar aberto após as 22 horas.

Outra festa foi flagrada em frente de uma antiga boate no Centro da cidade e havia cerca de 30 pessoas.  A terceira ocorrência foi na praia do Capricórnio, na região norte, onde os fiscais localizaram uma casa de apoio.  A festa, com cerca de 30 pessoas, foi encerrada.

Durante todo o fim de semana as equipes de fiscalização ainda vistoriaram cerca de 200 estabelecimentos comerciais para certificar o cumprimento dos protocolos sanitários para enfrentamento da Covid.

Pela Fiscalização de Posturas, foram 136 comércios fiscalizados, sendo 19 orientados quanto à falta do uso de máscaras faciais dos clientes. Também atenderam 15 denúncias de perturbação de sossego que foram abertas pelo Canal 156.

Houve, ainda, a abordagem a 38 pessoas que estavam sem máscaras na Feira do Rolo e foram orientados a colocarem o dispositivo de segurança.

Pela fiscalização do Comércio, foram 60 estabelecimentos abordados no fim de semana, mais as ações junto às festas clandestinas.