Culinária Caiçara marca presença na maior feira gastronômica do mundo

Prefeito intermedia junto ao Itamaraty ida de chefes sebastianenses para Miami

O município de São Sebastião está representando o Brasil na maior feira gastronômica do mundo – a Fibega, em Miami, nos Estados Unidos, durante este fim de semana. A feira apresenta uma coleção diversificada da gastronomia internacional das regiões turísticas mais cobiçadas do mundo.
A participação do município ocorreu após o prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, intermediar junto ao Ministério das Relações Exteriores a possibilidade de a cidade representar o Brasil na feira, apresentando a culinária caiçara.
“Há um empenho do Governo Municipal no fomento Turismo de São Sebastião no mundo inteiro, e depois de anos de ostracismo já temos resultados extremamente positivos, que são comprovados em nossos índices. Este ano houve mais de 45% de crescimento na vista de turistas, tanto brasileiros como estrangeiros, em nossa cidade”, disse Felipe Augusto.
Com isso, o Itamaraty oficializou o convite, e a secretária municipal de Turismo, Adriana Balbo foi à feira divulgar e promover a imagem de São Sebastião e do Brasil, acompanhada dos chefs sebastianense Cris Lara, Eudes Assis, e Pedro Abronhoza Scarpa.
O trabalho da Secretaria Municipal de Turismo ganhou aprovação do Cônsul-Geral do Brasil em Miami, João Mendes Pereira, que já marcou presença no stand dos sebastianenses na feira.

A Feira – O evento se destaca por ser exclusivo de networking e construção de negócios para os setores de turismo internacional de gastronomia.
“Os principais tomadores de decisão, especialistas, compradores e profissionais de todas as disciplinas turísticas estão presentes”, comentou a secretária Adriana Balbo.
De acordo com o presidente honorário do Fibega, Rafael Ansón, a gastronomia, e não apenas shows e entretenimento, pode ajudar e muito no fomento do Turismo.

“O turismo gastronômico se tornou a ponta de lança do desenvolvimento econômico e promoção turística de destinos internacionais”, comentou Ansón.

Ele explica que a escolha de realizar a feira em Miami se dá em razão da cidade ser um centro global para o comércio internacional. Conhecida como a porta de entrada para a América Latina e o Caribe, ela também está idealmente situada para que os núcleos comerciais canadenses, europeus e africanos se encontrem.