Caraguatatuba receberá novos equipamentos para Defesa Civil

A Defesa Civil de Caraguatatuba deve receber até o final do ano kits de equipamentos básicos e essenciais ao seu trabalho. O município foi um dos contemplados com recursos da ordem de R$ 100 mil, liberados pelo Estado, para a compra de materiais.
O Coordenador Municipal da Defesa Civil de Caraguatatuba, Capitão Campos Junior, explica que este kit contempla viatura, motosserra, gerador de energia, holofotes, bomba de 400 litros para combate a pequenos incêndios, entre outros.

Campos Junior, destaca a organização da Defesa Civil de Caraguatatuba como fator fundamental para a obtenção do apoio do Governo do Estado. “Esse recurso vai ajudar na melhoria, ampliação do atendimento e dos serviços, além de completar o que o prefeito Aguilar Junior já tem feito em termos de investimentos e valorização estratégica da Defesa Civil. Focando sempre nas ações preventivas, de socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais”, finaliza.

O município é parte integrante do Plano Preventivo da Defesa Civil para deslizamentos de encostas na Serra do Mar, e, em virtude do planejamento estadual, a cidade está no grupo prioritário de investimentos em prevenção e enfrentamento de desastres naturais.

O Plano Preventivo de Defesa Civil

O PPDC – Plano Preventivo de Defesa Civil específico para escorregamentos nas encostas da Serra do Mar no Estado de São Paulo (Decreto Estadual nº 30.860 de 04/12/1989, redefinido pelo Decreto Estadual nº42.565 de 01/12/1997) tem por objetivo principal evitar a ocorrência de mortes, com a remoção preventiva e temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias.

Implantado desde 1988, o PPDC entra em operação anualmente (de 1º de dezembro até 31 de março), na chamada Operação Verão, com coordenação da Defesa Civil Estadual e apoio técnico do Instituto Geológico. Implantado em 175 municípios do Estado, envolve ações de monitoramento dos índices pluviométricos e da previsão meteorológica, vistorias de campo e atendimentos emergenciais.

No período extra-plano (abril a novembro) são realizadas atividade preparatórias (cursos, treinamentos, publicações cadastros de eventos, estudos técnicos específicos) e também atendimentos em áreas de risco.