Caraguatatuba alerta população para tomar vacina contra sarampo antes da Copa América

Fonte: Prefeitura de Caraguatatuba
De 14/06 a 07/07, o Brasil sediará a CONMEBOL Copa América, com a participação de atletas do Brasil e diversos países. Segundo o Ministério da Saúde, eventos com grandes aglomerados de pessoas aumentam o risco de introdução e transmissão do vírus do sarampo.

Em função deste risco, por não possuir nenhum caso de sarampo e para continuar a manter a segurança da população, a Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Saúde, alerta para que todos aqueles que ainda não estão imunizados contra a doença e que passarão pelos jogos da Copa América procurem a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima para tomar a vacina tríplice viral que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.
O secretário de Saúde, Amauri Toledo, ressalta a importância desta imunização. “Eventos de massa com chegada de viajantes de diferentes continentes, aumento no fluxo de pessoas e situações de aglomerações aumentam o risco de introdução e transmissão do vírus do sarampo. Recomenda-se aos viajantes e participantes do evento esportivo que atualizem a situação vacinal antes de viajar, de maneira a diminuir o risco de introdução do vírus do sarampo”, explica.
Os jogadores participantes virão da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Equipes do Japão e Catar, membros da Confederação Asiática de Futebol (AFC), participam como convidados.
Serão 26 partidas distribuídas em seis estádios de cidades-sede: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, onde ocorrerá a abertura. A venda de ingressos ocorreu em 98 países: 90 mil ingressos foram destinados a outros países de todas as regiões do mundo e 225 mil para brasileiros.
Nos primeiros três meses de 2019, o número global de casos de sarampo aumentou em 300% comparados ao mesmo período de 2018. Todas as regiões do mundo registram aumento no número de casos da doença. Surtos atuais incluem países do continente africano, da Europa Oriental e a Oeste do Pacífico.
Em 2019, 1151 casos de sarampo foram notificados em 12 países das Américas, 65% deles nos Estados Unidos. Em 2018, o Brasil reportou a circulação do vírus do sarampo (genótipo D8) em 11 estados da federação. Em 2019, dois estados brasileiros continuam registrando casos associados ao mesmo genótipo, indicando circulação viral ativa e mantida no país. Neste mesmo ano, até maio de 2019, o estado de São Paulo registrou 27 casos confirmados de sarampo. O sarampo é uma doença altamente transmissível.
Rotina da vacina tríplice viral no Brasil
A vacina contra o sarampo é a medida de prevenção mais eficaz. No calendário nacional de vacinação de rotina todos os indivíduos de 1 a 29 anos de idade devem ter duas doses de vacina para sarampo. Recomenda-se que os adultos nascidos depois de 1960, sem comprovação de nenhuma dose, recebam pelo menos uma dose da vacina tríplice viral.
Esta vacina não é recomendada a crianças menores de seis meses de idade, gestantes e pessoas imunodeprimidas. A vacina tríplice viral (SCR), que protege contra o sarampo, protege também contra a rubéola e a caxumba.