Capital de SP mantém máscaras até novembro e derruba distanciamento em cinemas

 

A Prefeitura de São Paulo decidiu manter a obrigatoriedade do uso de máscaras contra a Covid na capital pelo menos até meados de novembro. Na semana passada, a gestão municipal tinha cogitado flexibilizar a regra em locais públicos, sob críticas de especialistas e autoridades da área da Saúde.

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, porém, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) afirmou que as medidas não farmacológicas, como o uso de máscaras, seguem em vigor pelo menos até 10 de novembro, quando será feito um novo estudo sobre o cenário da pandemia na capital paulista

— Baseado nos estudos recomendados pela Secretaria da Saúde, a cidade de São Paulo não vai fazer a liberação com relação a exigência do uso das máscaras — afirmou o prefeito.

O governo de São Paulo e a prefeitura do Rio também chegaram a anunciar que estudavam a medida, mas ainda não anunciaram nenhuma decisão neste sentido. A possibilidade de flexibilização no uso de máscaras era vista com preocupação por especialistas.

Na semana passada, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou uma nota defendendo a obrigatoriedade. No texto, o órgão citou como a flexibilização levou ao aumento de casos em países que dispensaram as máscaras.

Cai distanciamento em cinemas e teatros

Na coletiva desta quinta, a Prefeitura de São Paulo anunciou ainda a suspensão do distanciamento obrigatório entre cadeiras em salas de teatro e cinemas da capital paulista. Até então, esses estabelecimentos só podiam funcionar mantendo espaçamento mínimo de um metro entre as pessoas. O uso de máscaras continua obrigatório.

Fonte: site jornal Extra