Atividades em Caraguatatuba marcam o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Para marcar o 18 de maio (sábado), “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, a Prefeitura de Caraguatatuba por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania promove nesta semana (13 a 17), diversas atividades de orientação e conscientização sobre o tema.
Durante toda a semana, os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS – Sul, Centro, Norte, Jetuba, Massaguaçu e Morro do Algodão) realizarão palestras, grupos socioeducativos, roda de conversas e diversas atividades às famílias, com o objetivo de conscientizar e alertar sobre esse tipo de violação.
O encerramento da Semana de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e Semana do Bebê e do Brincar ocorre na sexta-feira (17), com várias atividades, das Secretarias de Desenvolvimento Social e Cidadania, Educação e Saúde, das 9h às 16h, na Praça Dr. Cândido Mota (Praça do Coreto), Centro.
Atendimento em Caraguatatuba – O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) é o local que atua no atendimento desse tipo de crime na cidade. O setor recebe vítimas de todo o município que procuram ajuda espontaneamente ou são encaminhadas pelo Disque 100, Conselho Tutelar, Vara da Infância e Juventude, escolas, unidades de saúde e os CRAS.
As vítimas e seus familiares recebem acompanhamento de assistente social e psicólogo. O projeto contempla crianças e adolescentes (até 18 anos de idade incompletos) que passaram por situações de violência (física, sexual, psicológica, moral ou verbal).
Os atendimentos são individuais e em grupos, com visitas domiciliares na escola ou nos locais frequentados pelas vítimas. Os profissionais fazem o acompanhamento direcionado para a promoção de direitos, a preservação e o fortalecimento de vínculos familiares.
História – Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados. Foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.
#pracegover Cartaz com fundo cinza tem uma flor amarela com o miolo laranja com os dizeres: Faça bonito. Proteja nossas crianças e adolescentes. Há três fotos embaixo: uma com várias crianças, outra com duas meninas se abraçando, outra com um menino segurando uma máquina fotográfica.